SERÁ QUE ESTOU COM DEPRESSÃO? CALMA! VOCÊ PODE APENAS ESTAR A PROCURA DE SI MESMO.

Por Vanderli Aparecida Pantolfi da Costa

De uns tempos pra cá, você vem percebendo que apesar de fazer parte desse mundo, ultimamente esta se sentindo fora dele. 


Que apesar de estar cercado de pessoas se sente só.

Quer se descobrir, se entender e sempre vem à questão que nunca cala; “o que estou fazendo aqui?" Parece que sua vida anda mesmo sem sentindo.

Então passa a se avaliar, e percebe que é uma pessoa generosa, leal, fiel, e mesmo assim parece que as pessoas não te entendem, porque elas reagem de forma oposta e você passa a se sentir um extraterrestre nesse mundo tão materialista e interesseiro.

Festas ou baladas que antes você curtia já não as curte mais.  
Alguns assuntos como fofocas, sobre roupas, carros, casas, enfim bens materiais, também não lhe inspiram mais.

O que dizer então da sensualidade a qualquer preço, submetendo às vezes seu corpo a agressividades, não, definitivamente não é o que você quer pra você.
 
Diante disso, conclui que seus valores agora são muito diferentes do de todo mundo e sente-se triste porque ama as pessoas que convive, família e amigos, mas não se afina mais com os gostos deles, então se afasta, e  isso lhe causa uma solidão, as vezes bem dolorida. Queria de verdade estar com eles, mas não se sente mais integrada, então passa a procurar ambientes mais privativos.

Nessa condição chega a pensar que você esta vivendo uma Depressão.

Quero lhe dizer, se algo semelhante te acontece, relaxe... Você só esta despertando para a busca de seu autoconhecimento, de sua real essência, que bem da verdade sempre esteve com você em todos os momentos, porém de forma inconsciente, e agora desperta para sua real missão nesse mundo, o AUTOCONHECER.

É interessante que ao despertar para essa nova consciência, você passa a perceber o quão pouco conhece de si mesmo e isso pode até te assustar. Porque tudo que nos é desconhecido nos causa medo, e é exatamente nesse momento que muitos fogem e se escondem novamente nesse mundo “sem sentido”, insatisfatório, porém “confortável” e “seguro”. E vive uma vida toda morna, triste e vazia, procurando se enganar que é feliz e que tudo esta bem, simplesmente por não ter a coragem de se conhecer, porque é PRECISO TER CORAGEM!

 "Ah, isso é para gente doente ou louca que precisa de ajuda! Eu sou normal!"

Não é isso que costumeiramente se ouvi por aí? 

É impressionante a quantidade de pessoas que vivem assim, poderíamos dizer que é a grande maioria de nós.

É bem na verdade que a consciência de si mesmo pode gerar dor em algumas pessoas, assim como em outras de início só curiosidades, porém a todas leva a um redirecionamento de suas vidas, onde se oportunizam escolher e aproveitar as novas descobertas.

A dor pode surgir no momento que se descobre que não sabia nada de si mesmo, que vivia um comportamento de crenças que lhe foram ensinadas e das muitas vezes até impostas, mas que não lhe traziam a plenitude. Essa nova descoberta chega a doer, mas com essa dor nasce também a humildade em se reconhecer que pode agora estar diferente, mas, isso não o faz melhor ou pior que ninguém apenas lhe permite o início da autoaceitação.

Descobrimos que não somos tão maus quanto nos julgávamos pelas culpas que trazemos, e da mesma forma também percebemos que não somos tão bons como gostaríamos de ser.

Percebe agora que seus pontos de vista não são os únicos verdadeiros, que os pontos de vista dos outros também são verdadeiros pra eles, e você aprende a respeitar vários pontos de vista de uma mesma situação, porque compreende que cada pessoa tem seu grau de julgamento das coisas, seja pela criação, seja pela maturidade, seja pela cultura ou religião. 

E quando percebe isso, sente uma grande liberdade, porque carregar “a verdade absoluta” é muita responsabilidade e acarreta um enorme peso em nossa consciência.

Então, há várias formas de se autoconhecer: meditação, esporte, caridade, viagens, profissão, terapias... ou seja você pode se  autoconhecer em qualquer situação que se permita estar com você mesmo, desde que isso lhe cause um grande prazer.

É importante lembrar sempre que:
  1. Você é a pessoa mais importante da sua vida;
  2. Você continua sendo a pessoa mais importante na sua vida;
  3. Você sempre será a pessoa mais importante na sua vida.
Clique aqui e agende
 seu horário
 para terapia


ISSO NÃO É EGOÍSMO, É AUTOAMOR!

Todos passam em sua vida, menos você que te acompanhará pela eternidade.

Então é necessário que você se relacione muito bem consigo mesmo.

Se permita!

Comece agora esse relacionamento 

maravilhoso de autoconhecimento, de 

auto-amor, auto-entendimento, autocompreensão, 

responsabilidade, disciplina e 

auto-perdão.





Comentários