Aprendendo Com a Natureza, Aprendendo Com o Bambu.

Símbolo da multiplicação e da generosidade. Apesar de ser considerada uma árvore simples é uma das mais resistentes que existe, comparado ao aço na tração e ao concreto na durabilidade. Seu uso vai para mais de 4000 utilidades para o ser humano.

É uma árvore (tecnicamente não é árvore, pois, pertence à família das gramíneas) muito interessante porque assim como toda natureza nos traz ensinamentos profundos:

Flexibilidade


A flexibilidade de enfrentar grandes tormentas e tempestades e mesmo assim continuar firme vem de suas raízes profundas na vertical, e extensas na horizontal.  

Em suas raízes o bambu nos ensina que para sermos felizes e flexíveis é necessário estarmos amparados pelas nossas raízes, que são nossos pais. É eles nossa primeira escola; com eles aprendemos suas crenças e valores. Segundo Freud são eles que cuidam e nos alimentam, então para a criança os pais é Deus. Se sentirmos a profundeza e a extensão desse amor, dessa base, aceitando nossas raízes, então como o bambu seremos também resistentes às tormentas naturais da vida.

Resiliência


O bambu durante todo o inverno suporta a neve sobre seu tronco e galhos, chegando a entortar, aguentando o peso e o frio por toda estação, porém, assim que a neve derrete, ele volta a seu estado natural na vertical, como se nada tivesse acontecido.

Na vida passamos por momentos muito pesados, difíceis de carregar, porém devemos compreender que assim como o bambu recebe naturalmente a neve, devemos aceitar esses pesos como oportunidades de crescimento e resistência; compreender que da mesma forma que as estações do ano passam, também as dificuldades passarão, e com certeza teremos aprendido com essas dificuldades, porque sempre que elas aparecem, vem junto às oportunidades de superá-las, tornando-nos mais sábios, consequentemente, resilientes e gratos.

Coletividade


Você nunca vê um bambu sozinho, isso mostra que o bambu consegue crescer e viver com harmonia em comunidade, além do que isso garante mais segurança para todos eles, porque, suas raízes se entrelaçam, tornando assim à todos mais resistentes.

Devemos aprender com essa planta, a tolerância, a paciência, respeitando o espaço do outros assim como gostamos que respeitem nosso espaço; só assim podemos viver em concórdia, uns com os outros, em busca de crescimento e evolução junto com todos os seres vivos, nesse planeta tão belo que nos abriga.


Desapego


O interior do Bambu é oco, e isso lhe proporciona leveza e flexibilidade. 

Podemos interpretar que carregamos muito pesos desnecessários em nossa vida. O apego nos torna pesados, porque nos aprisiona em preocupações e medos de perdas. Se aprendermos a sermos ocos de apego, ou seja, desapegados, seremos mais livres, portanto, mais leves e felizes.

Evolução


É sabido que o bambu é uma das árvores que mais cresce no mundo, chegando a crescer em apenas um dia, 121 cm, e sempre para o alto, normalmente esses crescimentos acontecem em estações chuvosas. 

Esse também deve ser nosso objetivo, a cada dia crescermos mais e mais para o alto, independente dos momentos que estamos, haverá sempre oportunidades. É importante que tenhamos "olhos de ver, e ouvidos de escutar". Capacidades todos nós temos. Jesus já nos disse que todos nós temos talentos, e devemos ter boa vontade de fazer que eles se multipliquem, em todas as áreas, pessoais e profissionais.

A Estória do Bambu


O senhor das terras do leste foi ter uma conversa com o bambu. 
Lá chegando, viu que ele era enorme, verde, forte e absoluto. Ajoelhou-se perante o bambu mais forte, grosso e viçoso e disse em tom firme:

- Bambu, és meu amigo, meu irmão e meu aliado?
- Sim, mestre!
- Bambu, eu preciso cortar sua carne!
- Sim mestre, corte-me as folhas.
- Bambu, eu preciso cortar sua cabeça e pernas, pois preciso de teu corpo!
- Se assim desejas, pode podar-me e arranca-me do solo, meu senhor!
- Preciso agora dividi-lo ao meio e retirar seus ossos!
- Pois bem, meu senhor, corte-me ao meio e retire de mim os elos e me deixe por inteiro, oco.
- Bambu, tu és forte e corajoso? Tu és humilde?
- Sim mestre; e como sou! Floresço, cresço rápido, faço com que o vento sussurre por entre minhas flores, sirvo de morada para alguns animais, e sinto que devo servir a vós!
- Pois bem bambu. Quero a maior parte de você agora. Quero o seu coração!
- Mestre, já cortou a minha carne, separou meus membros, partiu-me e drenou minhas forças. Agora estou morto e vossa senhoria quer meu coração? Se for da sua vontade, que assim seja feito.

O mestre então, disse:
- Vou levar-te daqui, separar-te em pequenas partes e estendê-lo no vale. Você nunca mais verá teus amigos e ficará só, sujeito ao sol, à chuva e a ação do tempo.

O bambu emudeceu e a vontade do mestre foi cumprida.

O mestre uniu as partes do bambu, fazendo uma grande calha que levaria a água do rio até a parte que sempre era assolada pela seca.
Concluída a sua engenharia, meses depois, o solo floria com variadas espécies de hortaliças, flores e frutos.
O vale seco e triste, agora é lindo e cheio de vida.

O mestre, feliz, ajoelha-se então a calha feita com o bambu e diz:

- Meu amigo, entendeu agora porque eu precisava mais que tudo de seu coração?

O bambu, que permaneceu calado durante os meses, agora cheio de felicidade, vendo que ali estava o seu coração junto com o de seu mestre, soube que sem ele nada daquilo seria possível.
Com o seu coração, fez brotar vida e vida em abundância...




Luciano Gomes Marinelli+
Estória: Somos Todos Um
Imagens da estória: xinrenfuyin.org


Deixo que reflita sobre a Estória do Bambu e comente aqui o que aprendeu com ela, e com o post de hoje.

Seu comentário é muito importante, dividindo seu conhecimento conosco, já pratica um dos ensinamentos do bambu, o bem da coletividade.




Vanderli Aparecida Pantolfi da Costa é Psicanalista, 
Hipnoterapeuta e Terapeuta em Regressão.

Postagens mais visitadas deste blog

Síndrome do ninho vazio.

O Adolescente É Egoista?

Nossas Carências Afetivas e o "Buscador Espiritual"